Ruralistas querem pressonar a Funai em Comissão da Câmara

Está para ser votado na COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO DESENVOLVIMENTO RURAL da Câmara dos Deputados, no dia 11/3/2015 às 10h o Requerimento n 6/2015, do Sr. Deputado Ruralista Alceu Moreira.

FlavioCamaraEste documento “requer que seja convidado o Senhor Flávio Chiarelli Vicente de Azevedo, Presidente da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, para prestar esclarecimentos sobre a identificação e delimitação de terras indígenas no Brasil”.

Reparem que  justificativa é puramente midiática, baseada em supostos argumento de que “conflitos entre esses índios e o setor produtivo brasileiro tem se tornado cada vez mais evidentes na mídia nacional”. Ainda a justificativa acusa a Funai de agir de forma “fraudulenta e de má fé”. Percebe-se pelo texto que se há conflito, não tem sido causado pela Funai ou pelos indígenas.

Lembre-se que  o filho de Kátia Arreu preside esta Comissão e, certamente, será aprovado o requerimento que busca, e este é o objetivo, dar espaço para os Ruralistas fazerem propaganda de seus mandatos sem pagar agências de notícias, pois os holofotes da grande imprensa estarão voltados para esta Comissão caso o Presidente da Funai tiver que comparecer.

Lei a íntegra da justificativa do Requerimento 6/2015 de Alceu Moreira:

JUSTIFICATIVA
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o Brasil tem hoje cerca de 740 mil indígenas divididos em mais de 200 etnias.
Conflitos entre esses índios e o setor produtivo brasileiro tem se tornado cada vez mais evidentes na mídia nacional, motivados principalmente por divergências entre identificações, delimitações e demarcações de terras indígenas que muitas vezes se sob repões às terras produtivas. A demanda comum do setor rural brasileiro é a da necessidade de maior transparência nos processos de demarcações de terras indígenas realizados pela FUNAI.
A entidade tem atualmente elaborando processos aos quais os produtores rurais e os municípios não tem acesso. Os processos correm à revelia, e o direito de defesa é mínimo, a alegação é de que os interessados têm em torno de 90 dias para se defender, tempo este insuficiente para qualquer ação efetivos sendo ainda muitos desses processos fraudulentos e/ou de má-fé.
Visto isto, e que até hoje nenhum presidente da FUNAI ordenou ações efetivas para sanar o problema, proponho esta audiência pública a fim de prestar esclarecimentos sobre as dificuldades relatadas.
Sala da Comissão, 04 de março de 2015

Fonte: http://www.camara.gov.br

Anúncios

Queremos sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s