ALERTA INTERNACIONAL: Primeiro ministro de Belize ameaça delegação de Direitos Humanos que visitam indígenas

primeiro_ministro_belize_reproducaoUma delegação de defensores dos Direitos Humanos está percorrendo os países da América Central, México, Guatemala, Honduras e Belize, recolhendo informações e trocando experiência entre as comunidades indígenas e afrodescendentes que lutam pela soberania territorial e pela defesa dos seus direitos.

A comitiva, após participar de um programa num canal nacional, recebeu ameaças em nome do Primeiro Ministro de Belize, que não quer a presença dos defensores em seu país. Leia o Alerta Internacional ao fim da página.

O contexto

A situação na América Central é complexa. Os EUA, México e Canadá, desde a década de 90 tentam atravessar as montanhas do sudeste mexicano, território indígena Maia, para integrar via rodovias e estabelecer bases militares na América Central. Em 1 de janeiro de 1994 ocorreu o levante zapatista, em que indígenas Maia desceram das montanhas e ocuparam cidades na região de Chiapas, México, instalando um território autônomo indígena e exigindo diálogo com o governo mexicano.

Desde aquela época houve o temos por parte dos governos dos países que se estabeleceram sobre o milenar território Maia: Honduras, Guatemala e Belize. Porém, o fundo do problema, mais de 20 anos depois do levante zapatista, ainda é o mesmo.

Os EUA incentivou a queda de governos populares na região desde a década de 70, com interesse de dominar o Panamá e seu canal que conecta os oceanos Atlântico e Pacífico, bem como manter o controle do tráfico de drogas da América do Sul até a América do Norte.

mar-central-america-map-utm16n-092914-digitalEste ano os EUA, por meio de seu Comando Militar Sul, está enviando desde maio de 2015 mais de 300 fuzileiros navais (marines) pra região de Honduras, Belize, El Salvador e Guatemala.  O argumento desta vez é para treinar militares para apoiar a população em caso de tragédias climáticas e o tráfico de drogas.

Diante do anúncio, vários analistas concordaram que o envio de 200 marines para Honduras, e de outros 90 dos quais mal se comenta, para a Guatemala, El Salvador e Belize, pode ser a reação do Pentágono à crescente influência da Rússia na América Latina.

Ao mesmo tempo, o professor estadunidense James Petras declarou à Rádio 36 do Uruguai que a intenção é criar uma plataforma militar para intervir na América Latina e em específico na Venezuela, se as próximas eleições parlamentares, que ocorrerão em dezembro, terminarem com um resultado muito apertado.

Segundo um editorial do jornal mexicano La Jornada, o novo estabelecimento de tropas dos Estados Unidos na América Central abrirá outro ciclo de violações em massa aos direitos humanos e atrocidades na região.

“A presença dos contingentes militares estadunidenses na América Central traduziu-se em massacres, violações em massa aos direitos humanos, apoio a tiranos intoleráveis e perda de soberania para as nações afetadas”, assinalou o jornal.

Leia o Alerta Internacional

ALERTA INTERNACIONAL: Primeiro ministro de Belize, país da Amércia Central, ameaça delegação dos Direitos Humanos composta por países da América Central e os Estados Unidos que visitaram comunidades garífunas, indígenas da América Central que sofrem expropriação de seus territórios.

Durante os meses de maio e junho, uma delegação composta por defensores dos direitos humanos visitou as comunidades no México, Guatemala, Honduras e Belize, América Central, para fazer intercâmbio com povos que lutam pela soberania territorial e de defesa dos direitos humanos.

Os delegados representam e organizações internacionais: Organização Fraternal Negra Hondurenha (OFRANEH), o Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH), o Comité de Apoio aos Povos de Chiapas, e As Vidas Negras de Valen (BLM) dos Estados Unidos, e  Liyawada Cerro de Belize.

Nosso trabalho em Belize tem-se centrado na partilha de experiências de lutas com povos indígenas e garifunas em Honduras com o povo de Belize para aprofundar o processo de conscientização em Belize e defender os seus territórios da destruição capitalista.

Reunimo-nos com organizações de base, grupos de rádio e televisão alternativa, advogados de direitos humanos e líderes camponeses.

Como delegação foram convidados a KREM, um dos canais mais importantes do país. Compartilhamos experiências, sucessos e lutas das diversas comunidades OFRANEH e COPINH, mas também falamos sobre a disputa e expropriação de territórios indígenas e negros promovidas pelos governos da América Central.

Informamos que a delegação mudou nas primeiras horas da manhã no sábado de Belize City para Punta Gorda, para continuar a apoiar a organização de Liyawada Cerro.

Imediatamente após descer do ônibus da delegação foi interceptado por um homem branco, identificando-se de origem alemã que vem de uma família de militares e vestido de roupas pretas, completamente, e com comportamento agressivo, perguntou à delegação:
– De onde são? Quem são? Quais seus nomes? Quanto tempo ficam em Belize? O que fazem em Belize? Quais países tem visitado?
E o homem fez uma descrição do perfil da delegação, o que sugere que a delegação estava sendo vigiada.

Segundos mais tarde disse que ele trabalha para o filho do primeiro-ministro e que cozinhava para sua família, ele ressaltou que os ricos Belize como alimentar europeia. Ele também disse que fez vários trabalhos para o Primeiro-Ministro.

Finalmente, ele disse para a delegação deixar Belize para a Guatemala.

Nós comunicar ao povo de Belize que a delegação vai atender as atividades planejadas de organizações de Direitos Humanos. Apelamos para os povos indígenas, garifuna, krioles africanos e da população em geral continuar a reforçar a sua luta em defesa dos direitos humanos. Assim, alertamos as organizações internacionais que responsabilizamos o primeiro-ministro de Belize, Sr. Dean Barrow, do que poderia acontecer com a delegação e organizações visitadas.

Somos defensores dos Direitos Humanos no mundo e nós temos o direito de defendê-los.
Organização Fraternal Negra Hondurenha (OFRANEH)
Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras (COPINH)
Comitê de Apoio aos Povos de Chiapas

Fonte: http://www.copinh.org/article/alerta-internacional-primer-ministro-de-belice-ame/

http://www.vermelho.org.br/noticia/264811-7

Anúncios

Queremos sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s