Parlamento Amazônico pressiona para levar mais impactos aos Waimiri-Atroari

Waimiri-Atroari_Egydio-SchwadePresidente da Funai, João Pedro, palestra no 1º Seminário do Parlamento Amazônico, evento que realizado nesta quinta-feira, dia 20, a partir das 9h, na Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (ALE/RR). O Parlamento Amazônico é composto por deputados dos nove estados que compõem o bioma Amazônia – Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Entre os temas relativos ao Estado, que serão discutidos no seminário, estão a criação de novas Terras Indígenas, o licenciamento do Linhão de Tucuruí e a questão do fechamento com corrente na BR-174 (que liga Roraima ao Amazonas), e corta a Terra Indígena Waimiri-Atroari.

TIwaimiriatroariTambém participarão o secretário executivo adjunto do Ministério das Minas e Energia, Francisco Romário Wojcicki, mais 29 deputados das 27 Assembleia Legislativas do País, além do presidente da União Nacional de Legisladores e Legislativos (Unale), deputado Sandro Locutor (PPS-ES).

Outro palestrante será o jornalista Lorenzo Carrasco, presidente do Movimento de Solidariedade Ibero-americana (MSIa), que é famoso por ter criado a teoria da conspiração muito usada pela Bancada Ruralista, de que os indígenas quando exigem a devolução de suas terras teriam por trás interesses de empresas internacionais que usariam comunidades e a Funai para garantir a não exploração dos minérios e riquezas naturais nos territórios, como resguardo para futura exploração pelas tais empresas internacionais.

Esta teoria absurda chegou ao Congresso e fundamentou a criação da CPI das ONGs, (2003 a 2006) em que foram investigadas Organizações Não-governamentais acusadas de atuarem em apoio a interesses de empresas internacionais. O resultado da CPI não comprovou nenhuma conexão, mas ainda é reproduzido o argumento quando os ruralistas desejam impedir que o Ministério da Justiça cumpra a devolução das terras aos verdadeiros donos dela, os indígenas.

Os Waimiri-Atroari, que será o principal tema do Seminário, foram quase extintos na década de 1960, quando os militares ditadores decidiram abrir a BR-174 e assassinar os indígenas que ali viviam. Atualmente os deputados pressionam a Funai e indígenas para liberarem a passagem de uma linha de transmissão de energia por dentro da Terra Indígena, que deve seguir as normativas de licenciamento ambiental, a qual políticos do legislativo insistem em não conhecer. Deputados e Senadores quando pressionam a Funai para a “liberação” de obras, parecem meninos mimados que choram quando querem doce, pois fazem lobby e achacamento ao invés de compreenderem o processo de licenciamento ambiental e seguirem as leis e direitos constitucionalmente instituídos em 1988.

Caso insistam em mais impactos aos Waimiri-Atroari, estarão repetindo o que ocorreu na década de 60. Os crimes cometidos pelos militares naquela época estão sob investigação da Comissão da Verdade, e a audiência que ouviu os indígenas foi registrada e segue no vídeo abaixo.

Anúncios

2 Respostas para “Parlamento Amazônico pressiona para levar mais impactos aos Waimiri-Atroari

Queremos sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s