Especial: Há luta pela vida na Aldeia Takuara, por Rui Neto

14 anos de luto pelo assassinato do Cacique Marcos Veron, Guarani e Kaiowá resistem ao genocídio, ao desmatamento e exigem a homologação de seu Território Indígena, no sul do Mato Grosso do Sul.

Por Rui Fernando da Silva Neto, jornalista. Do Tekoha Takuara, Curuguasu, janeiro de 2017.

Leia.

Anúncios
Ler Artigo →

Os ataques a indígenas no MS na visão de uma liderança

Tonico Benites, nome de registro formal de Avá Verá Arandú, é uma das principais lideranças do povo Kaiowá-Guarani, no Mato Grosso do Sul. Intelectual brilhante que consegue, como poucos, articular mundos diferentes e em conflito com extrema sabedoria e diplomacia, ele é mestre, doutor e atualmente pós-doutorando em antropologia no Museu Nacional da UFRJ.
Benites escreveu o artigo abaixo para esta coluna em razão dos recentes ataques violentos promovidos por ruralistas. (…)

Ler Artigo →

MS: Laudo sobre assassinato de Semião Vilhalva desmente versão de deputado e sindicato rural

O laudo da morte de Semião Fernandes Vilhalva, de 24 anos, foi entregue para a PF (Polícia Federal) e confirma que o indígena morreu no dia 29 agosto, durante retomada da Fazenda Fronteira por fazendeiros. Ele foi vítima de disparo de arma de fogo na cabeça, na fazenda que fica localizada em Antônio João, a 431 quilômetros de Campo Grande. (…)

Ler Artigo →

Polícia confirma que tiro na cabeça matou indígena em Antônio João

A Polícia Federal confirmou que a causa da morte do indígena Semião Fernandes Vilhalva, de 24 anos, foi um tiro na cabeça. Ele morreu durante o ataque dos fazendeiros aos Guarani Kaiowá, na Terra Indígena Ñanderu Marangatu, zona rural de Antônio João, a 402 quilômetros de Campo Grande, no dia 29 de agosto. (…)

Ler Artigo →

MS: Carta aberta dos indigenistas da Funai sobre os ataques aos Guarani Kaiowá

Conforme relataram os próprios indígenas, por meio de denúncias publicadas na página do Aty Guasu nas redes sociais, o atentado foi orquestrado e executado por lideranças ruralistas do município tendo à frente a Srª Rozeli Ruiz Silva, presidente do Sindicato Rural de Antônio João, esposa do ex-prefeito do município, cuja família é titular de áreas que incidem sobre o território reivindicado pelos indígenas. Rozeli e sua filha, a advogada Luana Ruiz Silva, vêm, há tempos, promovendo uma campanha de calúnias contra os indígenas, à Funai e a organizações indigenistas (…)

Ler Artigo →